quinta-feira, 10 de setembro de 2009

DISCIPULUS EST PRIORIS POSTERIOR DIES – O DIA DE HOJE É DISCÍPULO DO DE ONTEM (E MESTRE DO DE AMANHÃ)


Outra fonte para o que foi retratado nos artigos CONHECIMENTO E CONSERVADORISMO e ARGUMENTO HISTÓRICO DO CONSERVADORISMO :

“Sempre que alguém estiver inclinado a fazer pouco caso da utilidade do estudo histórico, talvez faça bem a essa pessoa se lembrar de que todo o progresso humano depende do fato de cada geração partir do vantajoso conhecimento adquirido e acumulado por meio de todas as experiências anteriores, e de que a história é o templo onde os dados dessa experiência são guardados. Pessoas que não conhecem história estão inclinadas a serem presunçosas e precipitadas em seus métodos políticos. Elas saem defendendo erros que foram desmascarados eras atrás, tentando experimentos políticos, industriais, financeiros que já foram tentados e considerados fúteis e desastrosos inumeráveis vezes; dando passos em falso que seus ancestrais já haviam dado e, então, haviam descoberto se tratarem de passos tolos e miseráveis; fazendo a própria civilização não parecer mais um fluxo reto adiante, mas sim um redemoinho d’água, com suas correntezas carregando os homens e suas instituições em um violento movimento circular em direção a um abismo de escuridão.”

CLARE, Israel Smith, Library of universal history : containing a record of the human race from the earliest historical period to the present time. tradução livre New York : R.S. Peale, J.A. Hill, 1897, p. viii

2 comentários:

Henrique Rossi disse...

Essa gente nutre um verdadeiro horror ao estudo da História, ciência nobilíssima.. Veja isso:

http://www.youtube.com/watch?v=uLHWJvcC-hs

soudeesquerda disse...

Bandeirante, vc acha que é mérito ser um “bandeirante”? Vai lá no último parágrafo do capítulo 15 e veja que o Viana Moog define a idealização bandeirante como “falta de modos, falta de sociabilidade, primitivismo, mau gosto e espera do milagre de mina”.