quinta-feira, 23 de julho de 2009

IGREJA, CELIBATO E HOMOSSEXUALIDADE


Há algum tempo li um artigo denominado “Does it matter more if a priest cheats with man or woman?”, publicado no USA Today, do qual, após a superação da sensação de desperdício de tempo, concluí que valeu a experiência pela identificação de um típico e expressivo exemplo do que está acontecendo lá nos EUA, aqui no Brasil e, é claro, no Paraguai. Vejam os seguintes trechos:

TRECHO 1: "former Archbishop of Milwaukee Rembert Weakland, once BELOVED BY CATHOLIC PROGRESSIVES for his social activism, has told Rachel Zoll of the Associated Press about his decades-long struggle with the homosexual desires that led to a costly scandal" (grifei)

TRECHO 2: “Cozzens is the author of several books on the priesthood including Freeing Celibacy [obviamente progressista]. He told the Palm Beach Post on Saturday: ‘I know a lot of good priests who are struggling with celibacy. It's more the loneliness than the absence of a full sexual life. The time is coming for us to openly discuss optional celibacy.’”

Da leitura desse artigo, dá para rapidamente perceber que os "progressistas" que estão desrespeitando o celibato (trecho 1) são exatamente os mesmos que estão defendendo o fim dele (trecho 2).

Essa situação, em que um GRUPO X (de pessoas) apresenta a mudança ou extinção de algo como solução para um problema que é criado por esse mesmo GRUPO X, é a típica situação articulada para desviar o foco de uma questão que, se realmente tivesse que ser analisada, deveria ser analisada sob a ótica da UTILIDADE OU NÃO DO CELIBATO, do MOTIVO OU NÃO PARA O CELIBATO e não sob a ótica de uma PRETENSA SOLUÇÃO A UM PROBLEMA QUE SEQUER DEVERIA EXISTIR.

Esse raciocínio não é novidade. Estamos vendo vários deles por aí atualmente: legalização da maconha para eliminar criminalidade, legalização do aborto para sanar uma questão de saúde pública, legalização do uso de embriões humanos na realização de pesquisas para avançar a medicina, mudança do significado do casamento (base da constituição da família) para resolver um problema de união civil entre gays, etc. (veja no PS1 abaixo porque todas essas situações são semelhantes)

Bem, não poderíamos nem estranhar esse tipo de notícia vinda do USA Today, jornal de “espetáculos” e de profunda e notória falta de compromisso com o uso do intelecto para se compreender fatos. Essa verdade não é nem novidade e já foi abordada por Olavo de Carvalho em 2007 (eu me lembro especialmente desse artigo do Olavo pois discordei do uso que ele deu à passagem bíblica Lc 22, 36), artigo por meio do qual destacou: “jornais populares como ‘USA-Today’ soltam artigo em cima de artigo para proclamar que não existe nenhuma guerra cultural anticristã, que é tudo invenção de paranóicos como Bill O'Reilly.” (http://74.125.95.132/custom?q=cache:Y6oFJWSYo4gJ:www.olavodecarvalho.org/semana/071221dce.html+usa+today&cd=6&hl=en&ct=clnk)

Devo destacar, porém, que algo desse artigo serviu. Foi o link que ele trouxe a um documento oficial da Igreja por meio do qual a Igreja orienta bispos e padres sobre como tratar os homossexuais (http://www.usccb.org/dpp/Ministry.pdf?loc=interstitialskip):

"In keeping with this conviction, the Church teaches that persons with a homosexual inclination 'must be accepted with respect, compassion, and sensitivity' (Catechism of the Catholic Church, 2nd ed., Washington DC, Libreria Editrice Vaticana, 2000, 2358). We recognize that these persons have been, and often continue to be, objects of scorn, hatred, and even violence in some sectors of our society. Sometimes this hatred is manifested clearly; other times, it is masked and gives rise to more disguised forms of hatred. 'It is deplorable that homosexual persons have been and are the object of violent malice in speech or in action. Such treatment deserves condemnation from the Church's pastors wherever it occurs' (Congregation for the Doctrine of the Faith, On the Pastoral Care of Homosexual Persons (October 1, 1986), 10 - www.vatican.va/roman_curia/congregations/cfaith/documents/re_con_cfaith_doc_19861001_homosexual-persons_en.html).

Esperar que a Igreja, que tem por fundamento um conjunto de livros (Bíblia), cujo primeiro deles, já na primeiríssima página diz que: Deus “criou o homem e a mulher. Deus os abençoou: ‘Frutificai, disse Ele, e multiplicai-vos’”, entenda a homossexualidade como um evento biologicamente natural é exigir mais do que o possível. Talvez, em contrapartida, se possa pensar que entre: (1) a posição da Igreja (exposta acima) e (2) a posição dessas revoluções todas que perseguiram os homossexuais (Revolução Nazista, Revolução Comunista, Revolução Iraniana, ...), que contam na maioria das vezes com o apoio desses “progressistas” todos, estamos MUITO MELHOR com a posição da Igreja.

PS1: outros exemplos de desinformação, de desargumentação:





7 comentários:

Henrique Rossi disse...

Rodrigo,

Excelentes posts. O raciocínio é exatamente este: aqueles que querem as transformação são os que as propõem. Não se trata de argumentos baseados em legitimidade intelectual, mas propostas baseadas no uso equivocado de propriedades positivas (como a sexualidade por exemplo).

Henrique Rossi disse...

Ah sim! Você e a Denise entraram num debate tão grande ontem que você não deve ter visto o canal do meu antigo chefe. Não se esqueça de visitá-lo.

http://www.youtube.com/user/TheBrazillianAtheist

Quero saber sua opinião! :)

D disse...

Ro, o que causa a homossexualidade?

Bandeirantes e Pioneiros disse...

Henrique, vi dois vídeos desse Brazilian Atheist ... putz, muito fraco ... parece uma espécie de retro-auto-ajuda ou auto-desajuda. Sexto Empírico, 1900 anos atrás, já fazia um trabalho melhorzinho.

Pra não dizer que não achei nada interessante lá, ouvi a seguinte afirmação do careca (ops, segundo os ateus eu não devo usar essa palavra uhuhahaha – risada maligna):

“Há um sistema legal, um sistema legal humano, que não é baseado nas leis de Deus, como na Bíblia ou no Corão (...) todos tem uma lei interna (...) minha lei é: Faça aos outros o que você gostaria que fizessem com você (...)” - afirmação que tirei do vídeo “Christians, when you die, what will you say? – a pontuação é por minha conta – e que reflete bem como esse cara não sabe nada:

“E como vós quereis que os homens vos façam, da mesma maneira lhes fazei vós, também.” Lc 6,31

Ronaldo Bassitt disse...

Mestre Rossi, o blog está cada vez melhor! Grande abraço, Ronaldo Bassitt

D disse...

Ro, o que causa a homossexualidade?

Henrique Rossi disse...

Dê,

Achei um artigo um tanto complexo que pode começar a ajudá-la na elucidação deste problema:

http://www.quadrante.com.br/Pages/servicos02.asp?id=55&categoria=Sociedade&tubcategoria=

Vale a pena dar uma olhada..

Beijão..